Cirurgião Plástico - Rio de Janeiro - Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), órgão máximo que dita os meios pelos quais o médico é considerado apto a exercer a cirurgia plástica no Brasil.

Av. das Américas 2480, sala 213, Bloco2, | Lead Américas - Barra da Tijuca  Rio de Janeiro - RJ

contato@bernardoramalho.com.br

(21) 98332 8067  | (21) 3251 4204  |  (21) 98867 3070

© 2020 Dr. Bernardo Ramalho - Todos os Direitos Reservados

OTOPLASTIA / ORELHAS EM ABANO

Algumas pessoas nascem com uma projeção exagerada do pavilhão auricular, as chamadas orelhas de abano. Este problema pode ser corrigido com a remodelação da cartilagem, através da otoplastia, o que dará contornos normais à orelha. Feita com anestesia local, a cirurgia de correção das orelhas de abano permite que o paciente retorne brevemente às suas atividades normais.

A idade ideal para a otoplastia seria a partir dos sete anos, período em que a orelha já está totalmente formada e quase igual ao tamanho atingido na idade adulta. Além do mais, por se tratar de um período pré-escolar, nessa fase começam os problemas de ordem psicológica, como o bullying.

Principais dúvidas:

Indicação:

A otoplastia visa à correção de orelhas de abano.

Anestesia utilizada:

Crianças (7- 13 anos) : anestesia geral.

Crianças acima de 14 anos (normalmente) e Adultos: anestesia local com ou sem sedação (a critério).

A cirurgia da orelha de abano deixa cicatrizes?

A cicatriz da otoplastia é praticamente invisível por localizar-se atrás da orelha, ficando assim escondida.

Geralmente, a cirurgia de correção das orelhas de abano dura em torno de 90 a 120 minutos.

Tempo de internação:

12-24 horas (depende do tipo de anestesia).

Tempo de recuperação:

O paciente já pode retomar as atividades profissionais ou escolares em quatro a cinco dias após a otoplastia. Na primeira semana, deve-se usar uma faixa na cabeça durante 24 horas. Depois deste prazo, será preciso utilizar somente na hora de dormir pelo período de um mês.

 

Resultado Final:

Assim que se retira o curativo já teremos em torno de 80% do resultado almejado. Após 12 semanas, o resultado será definitivo, pois grande parte do edema terá sido absorvido.

Há dor no pós-operatório?

Certo incômodo poderá ocorrer no pós-operatório da otoplastia. Quando houver dor, poderemos combatê-la com analgésicos orais comuns.

Como é o curativo?

Faz-se a proteção da cicatriz com curativos. Protege-se a orelha (principalmente em crianças), nos primeiros dias, com uma espécie de touca, a fim de evitar traumatismos locais. Em alguns casos, recomenda-se o uso das faixas tipo “ballet” ou “tênis”.

Quando são retirados os pontos? Há dor?

Em torno de 2 semanas.  Não há dor na retirada dos pontos.

Não há o risco de “voltar o problema” após a cirurgia?

Algumas técnicas de otoplastia utilizadas no passado, poderia haver recidiva da orelha em abano, porém nas técnicas atuais o resultado é definitivo.  Convém salientar que uma leve assimetria poderá ocorrer, pois, mesmo as pessoas não operadas e que tenham orelhas normais não apresentam simetria absoluta.

Há perigo nesta operação?

O perigo não é maior ou menor que aquele de se viajar de automóvel, avião ou mesmo o simples atravessar de uma rua. São riscos do quotidiano, os quais estamos acostumados a enfrentar. A principal complicação é o hematoma, portanto como qualquer cirurgia, precisa ser feita em centro cirúrgico (em Hospital).

 

Recomendações sobre a Cirurgia de Orelha de Abano:

PRÉ- OPERATÓRIO:

–  Comunicar-se com o seu médico até a véspera da cirurgia, em caso de gripe, infecções, etc;
– Obedecer o horário estabelecido para internação;
– Manter-se em jejum por um período de 8 a 12 horas antes;
– Lavar os cabelos na vésperas;
– Se tiver cabelos compridos, estes não deverão ser cortados e sim mantidos até um período após à cirurgia. Isto ajuda a disfarçar o curativo nos primeiros dias. De preferência faça uma trança antes de ir para a cirurgia.

 

PÓS- OPERATÓRIO:

– Evitar sol, vento e traumatismos locais por um período de 10 dias;
– Comparecer ao consultório para controle pós-operatório nos dias indicados pela enfermeira;
– Obedecer à prescrição médica;
– Alimentação livre, a partir do segundo dia, principalmente à base de proteínas (carnes, leite, ovos) e vitaminas (frutas).